04/07/2013

As cortinas da Janela



Estava cansado quando recebi a ligação de um dos meus amigos me lembrando da despedida do Duncan mais tarde da noite. Ele nunca foi de ter muitos amigos então decidi ir. A parte em que me surpreendi foi quando encontrei seu apartamento repleto de pessoas que nunca imaginava ter qualquer tipo de ligação a ele. Flora, Marta e Rafa estavam no meio da sala e foi a quem me juntei durante quase toda noite.
Por volta das 21:15 a maioria já estava pra lá da decima rodada de bebidas e histórias constrangedoras, a porta ficava aberta e na maior parte do tempo mais pessoas chegava com mais caixas de bebidas. Marta achou entregador de pizza interessante e foi recepciona-lo, Flora e Rafa saíram um com a desculpa de ir pegar mais bebida na cozinha e a outra que tinha que ir ao banheiro, ambos na tentativa de me enganar para poderem se encontrar em algum cômodo do apartamento para fazer algum tipo de atracação ou pratica de coito ou as duas coisas. Enquanto me conformava que estava sozinho e que o dono do apartamento estava ocupado demais para me fazer companhia, Clara Branco, a mesma garota que aos 10 anos eu disse meu primeiro eu te amo. Ela chegou com uma amiga em comum também da escola, cumprimentando seus conhecidos o mais próximo de onde elas estavam. Minha reação ao vê-la não foi das mais inteligentes, me escondi atrás das cortinas da janela. O que eu não contava que fosse acontecer foi quando ela se juntou a mim atrás das cortinas.
- Oi?
- Oi...
- Ta tudo bem?
Apenas acenei positivamente.  Já podia sentir minhas mãos soadas e desculpas para explicar como fui parar lá e como não demonstrar meu enorme nervosismo.
- Não sabia que você gostava de cortinas. Disse ela sorrindo.
- Der repente bateu saudades de brincar de esconde-esconde.
- Mas me fala.. Que que você ta fazendo aqui?
- Me escondendo. Olhava para frente e dava pequenas goladas do meu copo.
- De quem?
- De você. Fechei os olhos para não ver se ela ainda me olhava.
- Mas por quê?
- É que.. tenho vergonha de você me ver.
- De mim?
Finalmente olhei diretamente em seus olhos, respirando fundo antes de cada palavra disse - Tinha, tenho vergonha de você ver como fiquei ou como eu não fiquei como você, porque eu, eu
Ela segurou em minha mão e beijou minha boca, quando  seus lábios não mais estavam juntos aos meus disse – Se você quiser pode esconder isso também atrás das cortinas. – Ela saiu e no mesmo lugar permaneci sem acreditar em nada do que tinha acontecido pensando na probabilidade de acontecer de novo. Quando deixei meu esconderijo já não mais a encontrava em lugar algum, como um sonho bom veio sem eu precisar pedir e se eu quiser repeti-lo nunca mais continuará do mesmo jeito.



4 comentários:

  1. awn, que fofo *-*
    pllmc.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que lindo *--* perfeito!

    clickalways.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Paty! Não esquece de salvar o Desmascarada nos favoritos blz?
    Volte Sempre ;)

    ResponderExcluir

Comentários são sempre bem vindos assim como todos vocês!
Se estão comentando é por que gostaram daqui.
Tenho a sensação de dever cumprido por alcançar quem se identifica e tem algo em comum com o que gosto.

Obrigada pela visita, retribuirei assim que puder ;)
Beijos, beijos